FIRULAEVENTOSFIRULAPOSITIVA

Militares do GSI do TJRN participam de Encontro Nacional de Inteligência

O capitão Gustavo Craveiro e o sargento Carlos Santos, policiais integrantes do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) do Tribunal de Justiça do RN, participaram do 3º Encontro Nacional de Inteligência do Poder Judiciário (ENIPJ) realizado na cidade de São Luís (MA), nos dias 30 e 31 de outubro.

O evento foi promovido pelo Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA), por meio da Comissão Permanente de Segurança Institucional e Escola Superior da Magistratura (ESMAM), com apoio da Associação dos Magistrados do Maranhão e contou com a participação de palestrantes com vasta experiência na área de inteligência aplicada ao Poder Judiciário.

Entre os temas tratados no evento, foi discutida a implantação da Doutrina de Inteligência do Poder Judiciário, que já se encontra concluída e aguardando encaminhamento para o Comitê Gestor do Sistema Nacional de Segurança do Poder Judiciário, do Conselho Nacional de Justiça, além da participação do Poder Judiciário no Sistema Brasileiro de Inteligência (SISBIN).

Nesta edição também foram discutidos assuntos relacionados ao compartilhamento de experiências e técnicas aplicadas à inteligência; a interoperabilidade entre as unidades de Inteligências, assim como o fortalecimento da rede de inteligência a serviço do Poder Judiciário, entre outros pontos.

Durante o encontro, os participantes deram sugestões e fizeram solicitações de melhorias para a Inteligência e Segurança Institucional do Poder Judiciário. Os representantes do GSI, capitão Gustavo Craveiro e o sargento Carlos Santos, sugeriram a criação de um grupo de trabalho para acompanhar os trâmites administrativos e normativos da Doutrina no âmbito do CNJ.

Os representantes do TJRN também sugeriram a criação de um grupo de trabalho para criação do Subsistema de Inteligência do Poder Judiciário, bem como a sugeriram a criação de um banco de dados nacional para registros de ocorrências que tenha o ativo do Poder Judiciário como vítima.

Fonte: TJRN 

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar