FIRULAGERAL

Júri em Goianinha condena 4 réus a mais de 30 anos de prisão por mortes envolvendo o tráfico

Após dois dias de atividades, sessão do Tribunal do Júri realizado na comarca de Goianinha resultou na condenação de quatro pessoas a mais de 30 anos de prisão pela morte dois homens na zona rural do município, em março de 2013, motivado por um “acerto de contas” por dívidas com o tráfico de drogas.

Ao final do julgamento, Maria Eduarda dos Santos foi condenada a 36 anos e 9 meses de reclusão; José Carlos de Souza foi condenado a 34 anos e um mês de reclusão; Adriana Helena de Souza Machado foi condenada a 32 anos e um mês de reclusão; e Antônio Pedro da Silva de Carvalho foi condenado a 31 anos e 9 meses de reclusão.

Eles foram julgados pelos homicídios qualificados de José Costa de Lima Júnior e de Manoel Gomes Teixeira Neto, além da prática dos crimes de associação criminosa e de furto qualificado.

De acordo com a denúncia do Ministério Público Estadual, as vítimas foram mortas no dia 2 de março de 2013, por volta das 23h, em uma estrada carroçável localizada no sítio Fava Seca, situado próximo à divisa entre os municípios de Espírito Santo e Goianinha.

O caso

Segundo a denúncia do MP, José Carlos e Antônio Pedro se associaram e chefiavam uma quadrilha, formada ainda por Adriana Helena e Maria Eduarda, para o comércio ilegal de drogas e outros crimes. De acordo com o MP, quem não quitava a dívida era executado.

A Denúncia relata que a vítima José Costa Júnior tinha uma grande dívida com a quadrilha, razão pela qual decidiram que deveria ser morto. Assim, José Carlos determinou que Adriana e Maria Eduarda fossem à cidade de Espírito Santo para matar a vítima.

Naquela data, em um bar em Espírito Santo, Adriana Helena e Maria Eduarda convidaram as duas vítimas para beberem com elas em sua mesa, convidando-os, posteriormente, para dar uma volta.

Elas estavam em uma motocicleta e combinaram que iriam na frente sendo seguidas por José Costa e Manoel Gomes em um Fiat Uno, pertencente a vítima José Costa.

Ao chegarem próximo à divisa entre Espírito Santo e Goianinha, as duas mulheres simularam a necessidade de uma delas usar o banheiro. Ao pararem o veículo perto das mulheres, José Costa foi surpreendido com um tiro na testa efetuado por Maria Eduarda. Logo depois, Manoel Gomes também foi alvejado por Maria Eduarda, enquanto ainda estava no interior do veículo.

Após a execução do homicídio, a dupla telefonou para José Carlos informando das mortes. Pouco após, ele, Antônio Pedro e um adolescente foram ao local e subtraíram os pertences das vítimas, saindo do local no carro de José Costa.

(Processos nº 0100227-84.2015.8.20.0116 e 0100953-29.2013.8.20.0116)

Fonte: TJRN

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar