FIRULAQUENTE

Mantida condenação de homem que matou avó após discussão

Réu sufocou vítima com travesseiro.

12ª Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo manteve júri que condenou homem que matou a avó em Campos do Jordão. A pena foi redimensionada para 16 anos e quatro meses de reclusão, em regime inicial fechado.

Consta nos autos que o réu morava em uma edícula nos fundos da casa de sua avó. No dia dos fatos, após desentendimento motivado pela venda de botijões de gás da idosa, o acusado sufocou a vítima com um travesseiro.

De acordo com o relator da apelação, desembargador Paulo Rossi, “o crime ainda foi cometido mediante recurso que dificultou a defesa da vítima, vez que esta foi pega de surpresa pelo recorrente, sendo certo que não esperava ser atacada pelo próprio neto”.

“Examinado o conjunto probatório, vê-se que os jurados não decidiram de forma contrária à prova dos autos, ao inverso, dentre as duas teses, acolheram como comprovada a da acusação. Diante de tão contundentes elementos, vale notar que a opção do Júri encontra respaldo na prova produzida, qual seja, a condenação do acusado pela prática de homicídio qualificado”, escreveu o magistrado.

O julgamento teve a participação dos desembargadores Vico Mañas e Amable Lopez Soto. A decisão foi unânime.

Processo nº 0001299-11.2017.8.26.0618

Comunicação Social TJSP – LP (texto) / Internet (foto)

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar